Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022
Buscar
Fechar [x]
SEGURANÇA
03/12/2021 18h21

Amanda foi assassinada com dois tiros, conforme polícia

Os detalhes de como ocorreu sua execução foram divulgados nesta tarde pela PC de Laguna

A jovem paranaense Amanda Albach, 21 anos, encontrada morta na manhã desta sexta-feira (3), em Laguna, foi assassinada com pelo menos dois disparos de arma de fogo e forçada a cavar o próprio buraco onde seu corpo foi jogado. 



Amanda havia desaparecido entre os dias 14 e 15 de novembro. Os detalhes de como ocorreu sua execução foram divulgados, nesta tarde, pela Polícia Civil de Laguna.



Conforme o Portal Agora Laguna, o corpo estava enterrado em dunas na praia de Itapirubá – inicialmente, a informação divulgada oficialmente era que a vítima tinha sido localizada na praia do Sol, que fica na mesma região -, no limite entre os municípios de Imbituba e Laguna.



A jovem era de Fazenda Rio Grande, cidade da região metropolitana de Curitiba (PR), e trabalhava há cerca de dois meses em SC, como promotora de vendas em municípios do litoral Norte. Na véspera do feriado, comunicou à família que iria para uma festa em Imbituba e depois retornaria.



A comemoração era do aniversário de uma conhecida, que também era da cidade paranaense, mas morava há algum tempo em Itapirubá.



“Foi montada uma força-tarefa, com Imbituba e Laguna, para tentar entender com quem ela se encontrava, onde teria ido, o que teria feito, enfim, toda a nuance que envolve o desaparecimento”, detalhou o delegado Bruno Fernandes, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), de Laguna. Foi confirmado que ela foi à uma festa em Florianópolis e depois retornado para Itapirubá.



Amanda chegou a gravar um áudio para a família dizendo que estava retornando em um carro de aplicativo, mas a investigação descobriu que ela foi coagida a fazer a mensagem. O tom de voz e ruídos sonoros levantaram dúvidas na família, que acionou a polícia, a partir do momento em que ela não deu mais notícias.



A princípio, o motivo para a morte teria sido porque ela descobriu que um dos suspeitos era envolvido com drogas e possuía uma arma de fogo. O fato de Amanda ter espalhado essa informação, o teria causado irritação. As investigações vão prosseguir para confirmar se essa foi, realmente, a razão da execução. 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O caso caminhou para o seu desfecho a partir da prisão, na quinta- (2), de três suspeitos (dois homens e uma mulher). Eles estavam em Canoas (RS). Um dos presos assumiu a autoria e indicou o local em que o corpo se encontrava. A prisão preventiva dele será requisitada pela DIC. O trio está detido em Laguna.



O corpo de Amanda será liberado neste sábado (04) pelo Instituto Médico Legal (IML) e  levado até o Estado do Paraná.



Receba as principais informações do portal em nosso grupo de leitores do WhatsApp. Acesse https://chat.whatsapp.com/JBufyOx032T3Jer1iObXse


Fonte: Portal Agora Laguna/Foto: Manu Veiga/ND/Foto destaque: Redes Sociais
Hora Hiper

Tubarão / SC
Avenida Marcolino Martins Cabral, 1788, Edifício Minas Center, Sala 507, 88705-000, Vila Moema
(48) 3626-8001 (48) 98818-2057
Braço do Norte / SC
Rua Raulino Horn, 305, 88750-000, Centro
(48) 3626-8000 (48) 98818-1037
Hora Hiper © 2020. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.