Domingo, 21 de julho de 2024
Buscar
Fechar [x]
POLÍTICA
11/04/2024 19h24

Ex-prefeito de cidade de SC é preso por fraudes em contratação de artistas para festividades municipais

Nelson Foss da Silva (PT) foi preso nesta semana. Ele esteve à frente da Administração Municipal de São Miguel do Oeste entre os anos de 2009 e 2012

Nesta semana, o ex-prefeito de São Miguel do Oeste, no Extremo-Oeste de Santa CatarinaNelson Foss da Silva (PT), foi preso. Ele esteve à frente da Administração Municipal entre os anos de 2009 e 2012.

A prisão foi determinada pelo TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) devido a fraudes na contratação sem licitação de artistas para participação em festividades municipais.

Inicialmente condenado a 15 anos de prisão em primeira instância, sua sentença foi reduzida a sete anos de prisão, em regime semiaberto, além do pagamento de multa no valor de R$ 3.700. Paralelamente, o Judiciário ordenou a execução imediata da pena.

Em 2016, durante a condenação em primeira instância, o promotor de Justiça Cyro Luiz Guerreiro Júnior alegou que, de fevereiro de 2011 a junho de 2012, a Administração Pública Municipal contratou 10 artistas por intermédio de um empresário para participação em várias festividades.

Segundo o Ministério Público, esses contratos foram inflacionados de forma deliberada, visando beneficiar o empresário, que era sócio da então esposa do ex-prefeito.

As investigações revelaram que o montante total pago pelos shows alcançou R$ 123,6 mil. Desse total, o empresário teria retido aproximadamente R$ 45,8 mil, recebendo de 40% a 70% a mais do que o preço de mercado para agenciar os artistas.

A defesa do ex-prefeito informou que, por orientação da defesa e de forma voluntária, Nelson Foss se apresentou ao Presídio Regional de São Miguel do Oeste na última terça-feira (9), para iniciar o cumprimento provisório de pena, em regime semiaberto.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar de o processo ter outros réus, apenas o Sr. Nelson Foss teve determinação de início do cumprimento da pena em razão de decisão proferida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Os advogados alegaram que discutem a condenação junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) e o STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O mérito ainda se encontra em análise recursal junto ao STJ, do qual decisões poderão refletir diretamente na pena provisória. A defesa também protocolou pedido de suspensão do início do cumprimento provisório da condenação, mas o juízo entendeu por determinar o imediato cumprimento da pena.



Receba as principais informações do portal em nosso grupo de leitores do WhatsApphttps://chat.whatsapp.com/GFBj961lXAC5HR6GTjhg4J


Fonte: Redação. Foto: Reprodução
Hora Hiper

Tubarão / SC
Avenida Marcolino Martins Cabral, 1788, Edifício Minas Center, Sala 507, 88705-000, Vila Moema
(48) 3626-8001 (48) 98818-2057
Braço do Norte / SC
Rua Raulino Horn, 305, 88750-000, Centro
(48) 3626-8000 (48) 98818-1037
Hora Hiper © 2020. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.